Arqueologia em Salinas da Margarida

Em 2013, uma equipe de arqueologia do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da Universidade do Estado da Bahia (LAP/UNEB) esteve em Salinas da Margarida realizando pesquisa de campo para o empreendimento Alojamentos do Estaleiro Enseada do Paraguaçu. Essa foi a quinta viagem que os pesquisadores do LAP/UNEB fizeram a Salinas, município integrante de uma região que já vem sendo estudada arqueologicamente por essa equipe desde o ano de 2009.

Durante as atividades de pesquisa a equipe teve a oportunidade de investigar a região e realizar palestras educativas para a comunidade da sede de Salinas e no Povoado de Conceição de Salinas, versando sobre o patrimônio cultural histórico e arqueológico da Bahia e da região da Baía de Todos os Santos. As palestras também tiveram o objetivo de sensibilizar a comunidade para a necessidade de conservação de seus sítios históricos, arquitetônicos e arqueológicos.

Durante as atividades educativas as comunidade de Salinas e Conceição participaram ativamente. O líder comunitário da sede municipal de Salinas, Sr. Antônio, acompanhou a equipe em sua visita por vários pontos. Em Salinas houve a indicação de verdadeiras riquezas regionais como os trilhos que faziam o transporte do sal das salinas locais, bem como pérolas arquitetônicas da região, como a igreja do Dourado, uma igreja com construção tipicamente colonial e de extrema beleza e importância histórica. A construção é feita em pedras e tijolaria, com paredes apresentando largura média em torno de 90 cm.

Pescadores encontram moedas antigas enterradas em Salinas da Margarida